Eu prefiro Kona

Marcas

Qualquer atividade tem valor, se o souber criar. É aquilo que providenciamos ao cliente que conta, seja a qualidade dum produto ou a excentricidade duma experiência. A qualidade e a excelência são valor que o cliente apreciará e pelo qual estará disposto a pagar.

Para carimbar esse valor uniformemente criam-se marcas. O valor oferecido pela empresa ao cliente começa a ganhar dimensão e reconhecimento e tem um nome associado: a marca.

Kauai vs. Kona

É esse nome que será partilhado no incomparável boca-a-boca. Podemos lembrar-nos imediatamente de várias marcas e do seu valor planetário, mas gostaria de vos falar do próximo Hyundai Kauai. Prestes a sair em Portugal, foi baptizado de forma diferente no nosso país, em relação ao seu nome original. Inspirado numa ilha do Havai, o seu verdadeiro nome pelo mundo fora é Hyundai Kona.

Hyundai Kona

Lá fora é Kona, em Portugal é Kauai

Facilmente se percebe qual foi a preocupação da Hyundai Portugal ao decidir apelar à mudança de nome. A confusão que criaria com algumas chalaças e associações livres seria estranha.

Buzz e copywriters

No entanto, o buzz que isso tem criado já os beneficia. O facto de terem trocado Kona por Kauai ficará na história recente dos veículos e torna-os mais relevantes em termos digitais porque será tema de conversa. Para mim, trata-se duma enorme perda…

Se a marca gostasse mais do primeiro nome e não se preocupasse realmente com isto, poderia ter contratado um humorista e ter as vendas exponenciadas. Um bom copywriter poderia utilizar estas sugestões:

“Todos querem comprar Kona à Hyundai”.

“Quando entro no concessionário da Hyundai só penso em Kona”

“Não há melhor do que Kona”

“Troquei o meu antigo Hyndai por Kona”

“É fácil ter Kona. Basta ir à Hyundai”

“Pai, quero Kona. Vai à Hyundai, filho”

O meu smartphone sempre conectado com Kona

“O meu smartphone sempre conectado com Kona”

Além disso, segundo meu irmão Francisco, é muito mais másculo andar de Kona do que de Kauai. Mais do que uma questão de significados ou associações é mesmo uma questão de sonoridade. Kona enche a boca (salvo seja) e Kauai parece um débil gemido.

Uma oportunidade impagável

O mais importante perceber é que a marca coreana pode ter ganho uma enorme oportunidade de propagação desta forma, sem saber. Em Portugal, querem desperdiçar um dos mais belos acasos de geolocalização de marca.

O valor proporcionado pela marca através dos seus carros já é reconhecido pelos seus clientes e potenciais compradores, pelo que um pouco de barulho de fundo poderá até ajudar nas vendas. Não existe má publicidade, como dizia P. T. Barnum.

Afinal, mesmo os atalhos fortuitos ou as vielas do desentendimento fazem parte do nosso caminho. Neste caso a Hyundai bem podia ter esquecido o resultado final e lembrar-se que dentro dum carro, mesmo com nome peculiar, há sempre um destino mas o que conta é a viagem.

Anúncios